Os Objetivos da Ciência
 

Não é possível resumir numa única idéia os objetivos principais das diversas ciências existentes, porém é possível apresentar um exemplo representativo do que busca a ciência.

A ciência tem como objetivo explicar o mundo. Observá-lo, formular hipóteses que expliquem os fenômenos observados, e então testar estas hipóteses em diversas situações para ver se o mundo se comporta de acordo com elas. Teorias que não explicam corretamente todas as situações devem ser ou limitadas apenas aos casos em que elas funcionam ou senão descartadas por não explicar corretamente os fenômenos observados. Outro ponto importante é que uma teoria "firmemente estabelecida" é simplesmente uma teoria que explica muito bem as observações efetuadas, não tendo nenhuma outra alternativa conhecida capaz de explicar de forma razoável como o mundo se comporta. Porém, todas as teorias são refutáveis e podem ser descartadas se forem falseadas no futuro.

(Mozart Hasse)


"A verdade é o objetivo da ciência, ainda que não possamos saber que a atingimos
se, por acaso, isso ocorrer." (Popkin, Richard, "Ceticismo", Editora da Universidade Federal Fluminense, Niterói RJ. 1996, p.55)

"A ciência não é mera observação dos fenômenos. Identifica-se, à luz de um conhecimento disponível, problemas decorrentes dos fenômenos. A percepção de problemas é uma percepção impregnada de fundo teórico. Um fato em si mesmo não tendo relevância alguma, não diz nada. Ele passa a ter relevância, pertinência, quando relacionado a um problema, a uma dúvida, a uma questão que precisa de resposta". (Köche 1997)


Habitamos um universo onde os átomos são formados no centro das estrelas, onde a cada segundo nascem mil sóis, onde a vida é lançada pela luz solar e acesa nos ares e águas dos planetas jovens, onde a matéria-prima para a evolução biológica é algumas vezes obtida de uma explosão de uma estrela na outra metade da Via-Láctea, onde algo belo como uma galáxia é formado cem bilhões de vezes, um Cosmos de quasars e quarks, flocos de neve e pirilampos, onde pode haver buracos negros, outros universos e civilizações extraterrestres cujas radiomensagens estão até este momento atingindo a Terra. Muito pálidas, pela comparação, são as pretensões das superstições e pseudociências; como é importante para nós nos dedicarmos a entendermos a ciência, este esforço caracteristicamente humano.

(Carl Sagan)